Pingo de água caindo em um rio
Sustentabilidade

Como um de nossos clientes adotou uma postura positiva frente à sustentabilidade hídrica

O tema água – em especial a sustentabilidade hídrica – já foi e continua sendo discutido amplamente pela sociedade. Tanto já se debateu sobre este assunto que se tornou um alvo fácil para jargões ou modismos. Mas, será que é fácil colocar em prática ações de sustentabilidade hídrica? Nem sempre.

A escassez da água é uma ameaça real ao setor produtivo brasileiro. O uso da água de fontes subterrâneas não é sustentável, haja vista que a água é retirada dos lençóis freáticos em quantidade superior a sua recarga ou a sua reposição natural.

Muitas empresas realizam planejamentos para conseguir trabalhar efetivamente com o recurso hídrico na gestão de seus processos. Destes, diversos planos de ação conseguem com sucesso implantar talvez uma ou duas atividades.

Isso quer dizer que, apesar de tão discutida a questão de escassez de água, pouco se consegue implantar no meio empresarial, sem um planejamento ou uma gestão que seja realmente relevante. Um exemplo de gestão eficiente da água é a substituição de sua fonte.

Case de sustentabilidade hídrica da Biovita

Na região Sul do Brasil ainda é muito comum o uso de água subterrânea, extraída de poços artesianos ou semiartesianos. Essa prática se dá, principalmente, por ser de fácil acesso e ter baixo custo, afinal a cobrança pelo uso da água não é realidade em algumas regiões brasileiras.

Nem sempre a sustentabilidade envolve ações complexas para ser atingida. No intuito de melhorar a gestão da água de nosso cliente, cujo uso da água estava relacionado a lavação de uma ampla frota de caminhões, a Biovita realizou um estudo alternativo para o uso da água. Neste estudo foi avaliada a precipitação pluviométrica da região, relacionada ao volume necessário de água para atender a demanda da empresa. Com o resultado obtido, foi projetado e implantado um eficiente sistema de captação de água da chuva.

Lava-jato lavando um caminhão vermelho

Com o sistema devidamente em funcionamento, deixou-se de consumir 30.000 litros de água por mês de fonte subterrânea (poço). E ele passou a reaproveitar a água da chuva, sem que houvesse cobrança pelo uso do recurso.

Assim, esta intervenção de baixa complexidade através de substituição da origem da água está em alinhamento ao viés da sustentabilidade do recurso hídrico.

A captação de água da chuva é uma exigência da Lei Estadual nº 14.675/2009 (Código Estadual do Meio Ambiente de Santa Catarina).Em seu artigo 218, determina que “as atividades/empreendimentos licenciáveis, quando usuários de recursos hídricos, devem prever sistemas para coleta de água de chuva para usos diversos”.

Além de contribuir para redução do consumo de água presente nos aquíferos subterrâneos, há diversas outras maneiras de otimizar a gestão da água na sua empresa. A Biovita pode te ajudar a reduzir seus custos com a sustentabilidade hídrica. Entre em contato conosco!

Evelise Garcia Fard Evelise Garcia Fard
Consultora Sênior